PESQUISAR


BLOGS TEMÁTICOS


ENVIE SUA CONTRIBUIÇÃO EM FORMATO PDF NO GRUPO DE EBD

O TEMPO DIFÍCIL DE NEEMIAS E OS TEMPOS TRABALHOSOS DA IGREJA MODERNA

Por Marco Sousa


TEMPO DE RESTAURAÇÃO

O leitor leigo que toma o livro de Neemias para ler pela primeira vez, à medida que folheia as páginas, geralmente fica na expectativa de encontrar no livro algum milagre ou sinal extraordinário operado por Deus ou a intervenção de algum profeta do Senhor trazendo resposta ao seu povo (como na maioria dos livros da Bíblia Sagrada), mas logo o leitor vai percebendo que no roteiro do texto quem está agindo é o homem fiel que busca reparar o culto a Deus. O tema central do livro é contar a história do esforço de um homem que foi o instrumento fiel na restauração dos muros da cidade que deveria ser um culto a Deus (Jerusalém).

NEEMIAS E O USO DOS MEIOS DE GRAÇA EM UM TEMPO SEM DONS REVELACIONAIS

Em momento algum no livro de Neemias houve a manifestação dos dons espirituais revelacionais, embora há ministros do evangelho que digam que o discernimento de espíritos esteve presente na vida de Neemias, sobretudo quando ele discerniu o falso convite dos inimigos de Jerusalém, se recusando a descer para estar com eles no vale ou quando entendeu o objetivo real da falsa profetisa. O fato é que Deus não deu um sonho, uma visão, uma revelação ou uma profecia para orientar as ações de Neemias no tocante à construção dos muros. Neemias foi movido ao trabalho devido ao seu amor por Jerusalém e seu temor ao Deus que ele servia. Certamente seus pais souberam transmitir o ensino do Deus de Abrão, que ainda estava vivo em seu coração como uma herança indelével.

Neemias e seus companheiros pautaram as suas ações na palavra de Deus escrita e inspirada, a Torá, conhecida como a lei de Moisés. Não é por acaso que todo grande avivamento da história de Israel ou da história da igreja de Cristo sempre começou com a obediência a Deus e com a valorização do texto bíblico inspirado. Isto é fato inegável. Hoje cremos e temos no meio do povo de Deus profecias, sonhos, visões e revelações (dons espirituais revelacionais) e o nosso Deus maravilhoso continua falando conosco no meio da sua igreja, mas não são estes sinais que fazem um povo pertencer a Deus (e muito menos as maravilhas), mas sim a obediência à sua palavra (Vide Mateus 7:21-22-23) e os frutos dignos produzidos, afinal a árvore se conhece pelos frutos.

Existem métodos relacionais instituídos por Deus para uso do seu povo. Neemias usou alguns métodos aos quais hoje atribuímos o nome de meios de graça; ele fez uso intensivo da oração e do jejum. Deus fortaleceu o seu povo nos dias de Neemias, através do retorno da nação ao cumprimento das escrituras sagradas. De forma semelhante, neste tempo de apostasia total, Deus tem um grande compromisso com os crentes que obedecem a sua palavra e que possuem o seu modo de vida guiado unicamente pelas sagradas escrituras e não por ventos de doutrinas que assopram aqui e acolá ou pelas heresias que surgem no meio do povo de Deus (Vide I Coríntios 11:19).

Aqui está o “segredo da vitória” daqueles que buscam a Deus. NÃO EXISTE triunfalismo neopentecostal neste roteiro, NÃO EXISTE cessacionismo reformado, NÃO EXISTE meninice pentecostal, NÃO EXISTE exclusivismo denominacional, MAS HÁ ZELO PELO PROFÉTICO, pela obra de Deus que ELE faz onde e como quiser (Vide Jeremias 29:13).

TOBIAS, SAMBALATE, GESÉM E OS BEREANOS DO TEMPO DE PAULO

SAMBALATE - O nome Sambalate significa “Sin dá a vida”. Esse nome é de origem babilônica, e “Sin” era o deus da lua do panteão desse povo. Em algumas versões esse nome também pode aparecer traduzido como “Sambalá”. Este personagem tipifica as pessoas cujos interesses religiosos são contrários a Deus. Fazem oposição clara e aberta à obra de Deus.

TOBIAS - O nome Tobias significa “o Senhor é bom”. Seu nome talvez seja um indicativo de que Tobias também tenha adorado o Deus de Israel. Tobias é citado no livro de Neemias como “o servo amonita” (Neemias 2:10), talvez ele tenha sido um escravo liberto, mas o fato que marca a história é que ele se fez inimigo do povo de Deus e também queria impedir a construção do muro de Jerusalém. Tobias tipifica os inimigos infiltrados no meio do povo de Deus, que buscam os benefícios particulares, enquanto atacam o povo de Deus.

GESÉM - O terceiro oponente de Neemias. Ele é designado como “o árabe”. Isso significa que provavelmente ele era um chefe árabe que dominava o sul de Judá. Que Gesém era um indivíduo influente não resta dúvida à luz do texto de Neemias (Neemias 2:19; 6:1-2). Gesém tipifica o homem de influência, que de longe ataca o povo de Deus.

Um dos erros recorrentes (praticado conscientemente por alguns pregadores e de forma inconsciente por crentes piedosos e leigos) é a atribuição do título pejorativo de “Tobias” (o infiltrado) a servos de Cristo que examinam as escrituras para saber se o pregador está falando a verdade, do mesmo modo que os crentes da igreja de Beréia fizeram, submetendo a pregação de Paulo e Silas ao crivo das escrituras para saber se os apóstolos estavam mentindo e foram elogiados por isto (Vide Atos 17:11). Um dos sintomas da vaidade e da soberba eclesiástica é quando algum pregador usa o termo “Tobias” para fazer referência a algum membro da comunidade eclesiástica, que discorda de algum posicionamento religioso, mesmo que a discordância seja sustentada com base bíblica. A situação piora quando se começa a desvalorizar o trabalho do próximo. Chamar de “Tobias” um crente que socorre o necessitado e que prega o evangelho sem nunca ter recebido uma moeda ou recompensa material em troca ou que trabalha voluntariamente pelo reino de Deus, pode ser uma questão de fanatismo religioso de quem desconsidera o trabalho alheio, ou falta de compreensão dos fatos ou na pior das hipóteses pode ser falta de caráter. Não existe meio termo para este tipo de coisa.

Na escuridão deste mundo é preciso ter a luz acesa para entender os rumos da guerra. Vigiemos para não ferirmos os nossos companheiros de combate, os quais, apesar das aflições desta hora carregam a arca de Deus firmemente nos ombros e se preciso for darão a vida por ela. A matéria prima da vida do crente é a verdade.

O QUE APRENDEMOS COM NEEMIAS?

Com Neemias aprendemos que há uma recompensa para aqueles que trabalham na obra de Deus. Ele viu os muros erguidos com os guardas em seus turnos e preparou o ambiente para Deus operar. De forma semelhante aqueles que colocam as suas mãos no trabalho da obra de Deus habitarão seguros em Jerusalém (a celestial), vendo seus muros erguidos e dentro dela o resplendor da glória de Deus.

Os tempos são difíceis e trabalhosos... Mas a glória de Deus brilha no caminho conduzindo o destino do seu povo!!!

Glória ao Pai, Glória ao Filho e Glória ao Espirito Santo!